TCMRJ quer saber os custos da ação da prefeitura no pedágio da Linha Amarela

ATUALIZADA EM 07/11/2019

Tendo em vista os danos causados na praça de pedágio da Linha Amarela pela ação realizada pela prefeitura do Rio, em 27 de novembro, o TCMRJ emitiu ofício à Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), à Companhia de Engenharia de Tráfego (Cet-Rio), à Secretaria Municipal de Infraestrutura, Habitação e Conservação (SMIHC), à Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), à Guarda Municipal (GM-Rio), à Companhia Municipal de Energia e Iluminação (Rioluz) e ao Gabinete do Prefeito, solicitando informações referentes ao custo geral daquela mobilização.

Ao todo, nove itens deverão ser esclarecidos:

  • autoridade que determinou a realização da ação;
  • relação de todos os órgãos/entidades envolvidas na ação;
  • relação dos equipamentos e veículos utilizados, com seus respectivos quantitativos;
  • contratos aos quais os referidos equipamentos e veículos estão vinculados;
  • relação de funcionários participantes, com seus respectivos cargos/funções;
  • tempo de duração da participação do órgão na ação;
  • volume/quantidade de material removido (por exemplo, número de caminhões-caçamba utilizados,
  • capacidade dos caminhões e número de viagens realizadas para o descarte dos resíduos);
  • relatório de controle de transporte de resíduos (Sistema MTR); e
  • local de descarte dos materiais removidos.
TCMRJ quer saber os custos da ação da prefeitura no pedágio da Linha Amarela